Over 10 years we help companies reach their financial and branding goals. Engitech is a values-driven technology agency dedicated.

Gallery

Contacts

411 University St, Seattle, USA

engitech@oceanthemes.net

+1 -800-456-478-23

Virtualização

Saiba como projetar serviços públicos essenciais com uma arquitetura de virtualização em mente

Uma boa arquitetura de virtualização é essencial para criar serviços essenciais na administração pública, e o entendimento dos componentes básicos da virtualização permite que os gestores de TI possam implantar com sucesso aplicativos críticos e instâncias virtualizadas. 

Um gestor público responsável pela TI pode implantar sistemas operacionais, servidores, dispositivos de armazenamento e recursos de rede virtuais, os quais permitem a operação de serviços públicos essenciais em um sistema virtualizado que podem ajudar a reduzir os custos e aumentar a eficiência operacional de órgãos públicos.

De forma resumida, a arquitetura de virtualização é executada em hipervisores, que isolam os sistemas operacionais (SOs) e os aplicativos do hardware subjacente. Isso permite que a máquina host execute várias máquinas virtuais (VMs), que compartilham os recursos de computação física de um sistema, como espaço de memória e largura de banda da rede.

Arquitetura de virtualização básica

Os administradores de TI responsáveis pelas instituições públicas devem compreender os termos essenciais da arquitetura de virtualização para garantir o planejamento e a operação eficaz de seus sistemas e data centers.

  • Servidor virtual

Um servidor virtual contém programas de computador e servidor, que vários administradores geralmente compartilham para administrar o servidor como se fosse deles. 

Os administradores que usam um servidor virtual não precisam gerenciar os aspectos de hardware que vêm com o servidor e podem compartilhar o custo das conexões de linha com a Internet com outros administradores.

  • Hypervisor

Um hipervisor é um software de computador que abstrai sistemas operacionais e aplicativos do hardware subjacente. Isso permite que o hardware da máquina host opere de forma independente várias VMs como convidados, que podem então compartilhar os recursos de computação de um sistema. 

Os administradores podem usar um hipervisor para consolidar o espaço em um determinado servidor virtual ou executar vários aplicativos isolados em um servidor, e ele oferece uma camada essencial de gerenciamento e controle sobre as operações do data center. 

  • SO host 

Um sistema operacional (SO) host interage com o hardware de um sistema e executa um hipervisor. Os sistemas operacionais host geralmente usam a virtualização baseada em contêiner, um sistema de software que permite que os aplicativos em um servidor compartilhem o mesmo kernel do sistema operacional enquanto fornece isolamento de hardware.

  • SO convidado

Um sistema operacional convidado é o software instalado em uma VM ou disco particionado, e os administradores podem usar um sistema operacional convidado para testar sem afetar nada fora de uma VM. Com um sistema operacional convidado, os administradores também podem executar programas e aplicativos que não são compatíveis com um sistema operacional host.

  • Container

Um contêiner é um software que empacota e isola aplicativos virtualmente para implantação em um sistema e pode compartilhar o acesso a um kernel do sistema operacional sem VMs. 

Um contêiner tem todos os componentes necessários para executar o software, como arquivos, variáveis ​​de ambiente, dependências e bibliotecas, e o sistema operacional host limita seu acesso à CPU, armazenamento e memória para mitigar o consumo excessivo de recursos. 

Por fim, os contêineres fornecem aos administradores melhor portabilidade e eficiência do que as VMs, embora não tenham isolamento do sistema operacional host, o que pode causar problemas de segurança.

Uma arquitetura de virtualização na prática para projetar serviços públicos essenciais

Na prática, as máquinas virtuais funcionam como sistemas operacionais ou ambientes de aplicativos que imitam o hardware que fornecem backups simplificados, recuperação de desastres, novas implantações e tarefas de administração do sistema. 

As VMs usam o hardware do sistema com mais eficiência, o que pode reduzir os custos de hardware e manutenção, bem como reduzir a demanda de energia e refrigeração. Elas não exigem hardware específico do hipervisor, embora exijam maior largura de banda, capacidade de armazenamento e processamento ao executar várias instâncias em comparação com servidores e desktops tradicionais. 

Os administradores podem facilmente mover, copiar ou reatribuir VMs entre servidores host para otimizar a utilização de recursos. Como as VMs consomem recursos, os administradores devem considerar várias estratégias de gerenciamento para reduzir o uso de recursos durante a definição da arquitetura de virtualização para serviços públicos essenciais.

Você teve algum problema ao projetar seus sistemas com arquitetura virtualizada? Entre em contato com a CPD Informática para saber mais sobre como projetar uma infraestrutura virtualizada.

Sobre a CPD Informática

Fundada em 1974, a CPD Informática é uma empresa Integradora de Recursos e Provedora de Serviços de TI (Tecnologia da Informação), com sede em Brasília e operação em todo o território nacional. Em seus mais de 40 anos de atividade, a CPD Informática se tornou referência em soluções integradas de TI com propostas inovadoras, produtos com tecnologia de ponta e atendimento especializado e diferenciado.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *